13/01/2018

[ RESENHA ] Eleanor Oliphant Está Muito Bem

Título: Eleanor Oliphant Está Muito Bem
Autora: Gail Honeyman
Editora: Fabrica 231
Páginas: 351
Estrelas: 5/5
Livro: Cortesia da Editora
Livro de estreia da escocesa Gail Honeyman, Eleanor Oliphant está muito bem foi revelado através de um concurso literário e, desde então, vem conquistando excelentes críticas e uma bela carreira internacional. Aos 30 anos, Eleanor Oliphant trabalha na área administrativa de uma empresa de design e leva uma vida solitária, mas feliz. Apesar de ser alvo de bullying no ambiente de trabalho por sua aparência e hábitos peculiares, ela não sente falta de nada e parece perfeitamente à vontade com sua falta de habilidades sociais. Mas tudo muda quando ela conhece Raymond, novo funcionário da área de TI da empresa, e os dois, por acaso, salvam a vida de um senhor que desmaia no meio da rua. Com sensibilidade e muito bom humor, a autora conta a história de uma amizade que muda para sempre a vida de três pessoas muito diferentes, que descobrem que a melhor maneira de sobreviver é abrindo o coração.

Eleanor Oliphant vai mexer profundamente com você de maneira única. Uma personagem original e no inicio isso foi um pouco estranho para mim, pois me deparei uma protagonista que não estou acostumada a encontrar na literatura. E admito que no começo ela me irritou bastante por conta de alguns comportamentos desnecessários, mas claro que eu não estava preparada para o que me aguardava.

Eleanor Oliphant tem 30 anos, é uma mulher completamente independente com uma rotina sagrada que não muda por nada nesse mundo, que se resume basicamente em trabalho-casa e casa-trabalho, quarta recebe no mesmo horário telefonemas indesejados da mãe que está presa e é uma tremenda idiota e nas sextas pizza e vinho. Nada sai dos trilhos, nada muda, nunca. Ela não tem amigos, namorado... uma vida social e para Eleanor está tudo muito bem.


“Quando o silêncio e a solidão caem sobre mim e a minha volta, esmagando-me, me cortando como gelo, às vezes preciso falar em voz alta, nem que para provar que estou viva”


Mas tudo muda quando ela encontra um cantor e decide que ele é sua alma gêmea, o homem para casar (segundo sua mãe). Então sua rotina sofre uma mudança e ela começa a pesquisar tudo sobre esse cara, segui-lo nas redes sociais, enfim... ela decide saber tudo sobre ele. 
Além disso, outra mudança acontece quando ela testemunha com Raimond (novo funcionário da empresa onde trabalha) um senhor de idade passar mal no meio da rua, depois disso sua rotina sobre altas mudanças, algumas pessoas são colocadas em sua vida e Eleanor vai percebendo que tudo bem não estar bem, tudo bem pedir ajuda e que amigos são sim necessários.

11/01/2018

[ RESENHA ] A Fogueira

Título: A Fogueira
Autora: Krysten Ritter
Editora: Fabrica 231
Páginas: 288
Estrelas: 4/5
Livro: Cortesia da Editora

Com lançamento simultâneo no Brasil e nos EUA, A fogueira é o livro de estreia da atriz Krysten Ritter, protagonista do premiado seriado da Netflix Jessica Jones e conhecida também por seus papéis em Os defensores e Breaking Bad, entre outros filmes e séries. Na trama, Abby Williams é uma advogada de 28 anos especializada em questões ambientais. Hoje uma mulher independente vivendo em Chicago, Abby teve uma adolescência problemática numa cidadezinha no estado de Indiana que até hoje ela luta para esquecer. Mas um caso de contaminação envolvendo uma grande empresa obriga Abby a voltar à pequena Barrens e confrontar seu próprio passado. Quanto mais sua equipe avança nas investigações sobre a Optimal Plastics, mais Abby se aproxima também da verdade sobre o misterioso desaparecimento de sua antiga melhor amiga anos atrás e de outros acontecimentos até então sem resposta.
 


A infância de Abgail Williams não fora nada agradável, com uma mãe que estava morrendo por conta do câncer ósseo e um pai muito religioso, Abby se via cada vez mais solitária; até conhecer Kaycee Mitchell.

As duas faziam tudo juntas e para Abby, elas seriam melhores amigas para sempre. Infelizmente não foi isso que aconteceu! Pois a partir do ensino médio na Barrens High, Kaycee havia mudado. E de um jeito cruel e sádico, ela se unira à Misha Dale, Cora Allen e Annie Baum, para fazer a vida de Abby um verdadeiro inferno. 

“Kaycee andava à frente das amigas como um lobo alfa liderando a alcateia. No refeitório, decidia onde se sentar, e as outras a seguiam; se ela comesse o almoço, as outras comiam também; se movesse a comida de um lado para outro na bandeja ou só almoçasse um saco de balas de goma Swedish Fish, as amigas faziam o mesmo. Misha era a mais cruel e a mais barulhenta delas. Mas Kaycee era a líder.”

O Bullying durou por muito tempo, até que no último ano do ensino médio uma doença se abateu sobre as meninas. Os sintomas eram mãos tremendo, perda de equilíbrio e esquecimento. Ninguém conseguia entender o que aconteceu com elas, pais davam entrevistas, ligando a doença à poluição, porém a polícia descobriu que tudo não passava de apenas uma mentira para chamar atenção.

09/01/2018

[ RESENHA ] O Livro do Cemitério

Título: O Livro do Cemitério #1
Autora: Neil Gaiman
Editora: Rocco Jovens leitores
Páginas: 188
Estrelas: 5/5
Livro: Cortesia da Editora
Bestseller do The New York Times e premiado com as medalhas Newberry (EUA) e Carnegie (Reino Unido), o romance O livro do cemitério, do cultuado escritor Neil Gaiman, ganha versão em quadrinhos adaptada por P. Craig Russell, parceiro de Gaiman em diversos livros, incluindo a versão em HQ de outro clássico do autor, Coraline. O livro é o primeiro de dois volumes que acompanham a trajetória de Ninguém Owens, ou Nin, um garoto como outro qualquer, exceto pelo fato de morar em um cemitério e ser criado por fantasmas. Cada capítulo nesta adaptação de Russell acompanha dois anos da vida do menino e é ilustrado por um artista diferente, apresentando uma variedade fascinante de estilos que dão ainda mais vida à atmosfera ao mesmo tempo afetuosa e sombria da história.

Esse foi meu primeiro contato com um livro em quadrinhos e com uma história de Neil Gaiman. Posso dizer que foi uma experiencia muito boa. E depois desse livro só tenho uma coisa para dizer: PRECISO DE MAIS QUADRINHOS NA MINHA VIDA DE LEITORA, rsrsrs.

Tudo começa com um crime brutal, onde um homem identificado no quadrinho como O Homem Chamado Jack assassina toda uma família, exceto o bebê que acaba fugindo engatinhando, indo parar em um cemitério, lá ele é acolhido por um casal de fantasma que prometem cuidar da criança a pedido da mãe dele que logo aparece como um fantasma recente e diz que o menino corre perigo.


Logo o homem chamado Jack aparece no cemitério, mas Silas o convence de que a criança não está ali. Silas é um personagem estranho e muito misterioso que se dispões ser guardião do bebê. Como os outros fantasmas do cemitério não aceitam muito bem a chegada e permanência da criança, acabam realizando uma reunião e após uma visita inesperada aceitam que a criança fique.

08/01/2018

[ RESENHA ] Cicatrizes

Título: Cicatrizes (Torn #1)
Autora: K.A. Robinson
Editora: Fabrica 231
Páginas: 288
Estrelas: 4/5
Livro: Cortesia da Editora

Foram poucos os relacionamentos de Chloe até a chegada à universidade. Ela escolheu ingressar na West Virginia e cursar Psicologia pela oportunidade de permanecer perto de Amber, a melhor amiga, e Logan, o fiel escudeiro e amigo desde os tempos de ensino médio. Chloe nunca teve uma boa convivência com a mãe, drogada e desequilibrada. Mas justamente no primeiro dia de aula, o destino de Chloe começa a ser traçado em outra direção. É quando ela senta ao lado de um típico bad boy tatuado, piercings nos lábios e nas sobrancelhas. O coração bate mais forte, a respiração fica alterada, e a boca seca. Drake Allen é o motivo. Dono de um mustang e vocalista da banda Breaking the Hunger, o rapaz é bastante assediado pelas fãs e não se prende a ninguém. Drake não resiste à troca de olhares com Chloe, quando se esbarram pela primeira vez na sala de aula. É o início de uma relação com muitos obstáculos, movida por desejo e paixão intensos. Mas Drake se declara num momento em que Chloe, desiludida, resolve ceder aos encantos de Logan, o melhor amigo, que há anos nutre um amor platônico, e que finalmente tem coragem de se declarar.
Seria válido trocar um amor seguro por um músico bad boy, ou mais cômodo manter a amizade disfarçada de namoro? De um lado, Logan, lindo, gentil e carinhoso. De outro, Drake, uma paixão rude e avassaladora. Mas por que será que os caminhos do coração indicam sempre as curvas mais tortuosas? Chloe decide então seguir em frente na busca pela felicidade, mas não contava que o passado voltaria a bater em sua porta.


Para Chloe Richards, a palavra amor materno não existe, pelo menos não em relação à sua mãe biológica.  Engravidara aos 17 anos, ia a muitas festas e como resultado de uma noite de drogas e álcool com um homem que ela não se lembrava, Chloe nasceu.  Na gravidez, ela não usava drogas, mas continuava a fumar e beber, fazendo com que sua filha nascesse prematura. Ao invés de mudar os seus hábitos e ter uma vida diferente ao lado da sua única filha, ela voltara a ir a festas e usar drogas, ficando dias ou semanas fora de casa, deixando Chloe com pessoas estranhas. Quando Chloe completara sete anos, sua mãe passara a levá-la junto, deixando-a sozinha por horas, mas essa ainda não era a pior parte, e sim, quando ela se ressentia por Chloe ter nascido e começava a agredi-la junto com algum namorado que ela levava para casa.
E assim a tortura se seguia, até que no primeiro ano do ensino médio, sua mãe começou a sumir por vários meses, até que ela passou a visitá-la apenas uma vez no ano. Com isso, os pais de Amber, sua melhor amiga desde o ensino fundamental, cuidaram dela como se fossem sua filha e aos 14 anos, Chloe decide morar com eles.   

Nunquam Amavit- Nunca Amada

Estas duas palavras sempre estariam gravadas no seu interior, como um lembrete do seu passado cruel, cujo medo de que algum dia ele voltasse a assombrá-la era tão grande a ponto de fazê-la mudar da sua cidade natal em Charlestown para Morgantown. Onde ela poderia ter uma vida nova, ingressando na Universidade West Virgínia para estudar Psicologia, morando no alojamento da faculdade junto com seus dois melhores amigos Amber e Logan.

Logan é um dos caras mais gatos que Chloe já vira. Meigo, bonito e sarado. Ele e Chloe se conheceram no ensino médio e não se desgrudaram mais desde então. Ela até tinha uma queda por ele na época do colégio, mas a paixão se tornara amizade com o tempo. E assim como Amber, Logan também presenciara as crueldades que a mãe de Chloe fazia com ela, a ponto de ter se tornado bem protetor quando alguém tenta magoá-la.

© Coleções Literárias ♥ - Todos os direitos reservados - 2016 ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo