02/11/2017

[ RESENHA ] O Ceifador

Título: O Ceifador (Scythe #1)
Autor: Neal Shusterman
Páginas: 448
Editora: Seguinte
Estrelas: 5/5
Livro: Cedido pela Editora
  Primeiro mandamento: matarás.
A humanidade venceu todas as barreiras: fome, doenças, guerras, miséria... Até mesmo a morte. Agora os ceifadores são os únicos que podem pôr fim a uma vida, impedindo que o crescimento populacional vá além do limite e a Terra deixe de comportar a população por toda a eternidade. Citra e Rowan são adolescentes escolhidos como aprendizes de ceifador - papel que nenhum dos dois quer desempenhar. Para receberem o anel e o manto da Ceifa, os adolescentes precisam dominar a arte da coleta, ou seja, precisam aprender a matar. Porém, se falharem em sua missão ou se a cumplicidade no treinamento se tornar algo mais, podem colocar a própria vida em risco.


 “É a coisa mais difícil que se pode pedir a alguém. E saber que é para um bem maior não a torna mais fácil. Antigamente, as pessoas morriam de causas naturais. A velhice era uma doença terminal, não um estado temporário. Havia assassinos invisíveis chamados doenças que destruíam o corpo. O avanço da idade não podia ser revertido e existiam acidentes dos quais não havia recuperação. Aviões caíam. Carros colidiam. Havia dor, sofrimento, desespero. É difícil para a maioria de nós imaginar um mundo tão inseguro, com perigos invisíveis e inesperados à espreita em todos os lugares. Agora que tudo isso ficou para trás, só nos resta um dado simples: as pessoas precisam morrer.”

A Era da Mortalidade é apenas um passado bem distante nesse novo mundo distópico, pois agora não existe mais guerra, fome, doença, corrupção, e principalmente, a morte. Tudo isso acabara em 2042, o ano em que a humanidade descobriu tudo. A Nimbus- Cúmulo, uma rede digital que ganhara consciência, assumiu o poder no mundo inteiro. Agora tudo que há para saber reside na memória semi-infinita da Nimbus, disponível para quem quiser acessar. E assim como o conhecimento e o desenvolvimento da civilização se completara, a imortalidade finalmente fora alcançada, se um humano se machucava, seus Nanitos (micro - robôs que ficavam dentro do corpo humano para sensoriar, inspecionar e executar procedimentos médicos no interior do corpo), eram ativados fazendo com que o corpo fosse curado rapidamente. Também havia o centro de revivificação, onde as pessoas que sofriam uma semi-morte e acordavam da cura acelerada, esse procedimento era ainda melhor, pois era uma terapia genética que conseguia fazer o ser humano rejuvenescer.   


Embora o Mundo estivesse perfeito, a população continuava crescendo, e para que a capacidade da Nimbus pudesse sustentá-los, um certo número de pessoas precisava ser coletada, ou seja, morrer, a cada ano. Com isso, surge a Ceifa, uma Fundação de Ceifadores que treinaria os humanos escolhidos para o trabalho de coletar as pessoas de maneira rápida e indolor. Mas é claro, havia regras a serem rigidamente seguidas, pois eles não poderiam apenas coletar.

01/11/2017

[ RESENHA ] Garotos de Lugar Nenhum

Título: Garotos de Lugar Nenhum
Autora: Elise McCredie
Editora: Rocco
Páginas: 296
Estrelas: 3/
Livro: Cortesia da Rocco
Já imaginou retornar para casa depois de uma excursão da escola e descobrir que ninguém se lembra de você? Que sua existência simplesmente foi apagada, como se você nunca tivesse nascido? Parece um pesadelo, mas é o que acontece com Felix, Andy, Sam e Jake em Garotos de lugar nenhum, versão em romance da primeira temporada do famoso seriado de TV australiano Nowhere boys. Depois de passarem uma assustadora noite de tempestade perdidos na floresta durante o que seria um passeio rotineiro a um parque nacional da região, os meninos finalmente conseguem retornar para casa. Mas, estranhamente, ninguém os reconhece, nem mesmo seus familiares. Presos em um universo paralelo onde eles não existem para o mundo a sua volta, os quatro tentam entender o que aconteceu quando percebem que uma força das trevas está à solta. E precisam lutar para restaurar as coisas, antes que ela os destrua de uma vez por todas.


Tudo começa com uma simples excursão pela floresta organizado pela escola de Felix. Mesmo ele detestando a natureza fica interessado em participar ( Interessado até demais), assim que seus pais esquecem de assinar a autorização por estarem muito ocupados com Oscar (Irmão caçula e cadeirante de Felix) o rapaz pede para sua vizinha e melhor amiga Ellen falsificar a documento.

Chegando no ônibus Felix cautelosamente parece apreensível como se estivesse esperando alguém, somente quando vê Andy, Sam e Jack no ônibus ele se tranquiliza. Na hora do professor separar os grupos, curiosamente Jack, Sam, Felix e Andy ficam na mesma equipe, o que deixa Felix aliviado. Escondido o rapaz troca o mapa dado pelo professor por um que ele desenhou a mão.
Mas o que quatro jovens completamente diferentes estariam fazendo no mesmo grupo, e porque Felix ficara tão satisfeito com isso já que é chamado de "esquisitão" o tempo todo por Sam e Jack?


Logo um dos garotos começa a reclamar que a outra equipe estaria ganhando e ele não aceitaria derrota, então Felix diz conhecer um atalho, mas assim que saem da trilha o mapa sai voando das mãos do rapaz por conta de uma rajada de vento, e os garotos caem em uma ravina. Sem saber como voltar eles acabam passando a noite ali mesmo no meio da floresta ao som da musica esquisita que Felix se empenhou tanto em compor e gravou em seu celular.

No dia seguinte eles começam a procurar uma maneira de voltar, mas isso seria impossível pela ravina, é quando encontram uma estrada, mas do nada começam a ser perseguidos por um tornado estranho. Com muito custo conseguem escapar e encontram um senhor que oferece carona até a cidade, logo os garotos pulam de alegria, quando chegam na cidade, cada qual segue seu rumo e ao chegarem em suas casas percebem que algo muito estranho aconteceu.

29/10/2017

[ RESENHA ] O Jogo

Título: O Jogo (livro 3)
Autora: Elle Kennedy
Editora: Paralela
Páginas: 343
Estrelas: 5/5 ♥
Talentoso, inteligente e festeiro, Dean Di Laurentis sempre consegue o que quer. Sexo, notas altas, sexo, reconhecimento, sexo… É sem dúvida um galanteador de primeira, e ainda está para encontrar uma mulher imune ao seu charme descontraído e seu jeito alegre de encarar a vida. Isto é, até ele se envolver com Allie Hayes.
Em uma única noite, essa jovem atriz cheia de personalidade virou o mundo de Dean de cabeça para baixo. E agora ela quer que eles sejam apenas amigos?
Dean adora um desafio, e não vai medir esforços para convencer essa mulher tão linda quanto teimosa de que uma vez não é suficiente. Mas o que começa como um simples jogo de sedução logo se torna a experiência mais incrível e surpreendente de sua vida. Afinal, quem disse que sexo, amizade e amor não podem andar de mãos dadas?

Olá leitores, 

Atenção a resenha do meu livro favorito da série Amores Improváveis com direito a risadinha só de lembrar. 

No terceiro livro da série conhecemos o -para tudo que cara de perder o fôlego -Dean Di-Laurentis e a estudante de artes cênicas - mais dramaticamente fofa - Allie Hayes (melhor amiga da nossa querida Wellsy). 

Você que só leu os primeiros livros pode ficar chocada comigo porque o Dean que os amigos enxergam é fútil e só pensa em sexo. 

Bem, ele realmente pensa e faz muito sexo, mas apesar de ter uma vida financeira abastada ele não fútil, você descobre que o moço é apenas feliz e gosta de aproveitar a vida sem causar mal a ninguém, além de ser fiel aos amigos e claro quanto as suas  intenções com as garotas, ele enxerga com seriedade o Hóquei apesar de não sonhar em ser profissional como seus amigos Garrett e Dean. 

"É sexta à noite e estou deitado no sofá da sala, tomando uma cerveja enquanto duas louras - muito gostosas e muito nuas, diga-se de passagem - dão um beijo de língua na minha frente. Minha vida é demais".

© Coleções Literárias ♥ - Todos os direitos reservados - 2016 ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo