27/10/2017

[ RESENHA ] Tudo Por Amor

Título: Tudo Por Amor  (Esmeralda #2)
Autora: Ana Ferrarezzi
Páginas: 584
Editora: Novo Século
Estrelas: 5/5
Livro: Cedido pela Autora

Angélica, uma moça que foge do sertão após seu pai trocá-la por fartura e entregá-la a um homem enigmático conhecido como príncipe Teiú, muda seu nome para Alex e se prostitui, até que se une à tribo de guerreiras, as Icamiabas. Então o inimaginável acontece: ela perde o ritual de iniciação e é forçada a enfrentar a mesma pessoa da qual fugia. O príncipe Teiú precisa de Angélica. Depois de tanto tempo lutando sem sucesso para dominar a moça, ele está confuso. Não sabe mais qual é seu pior infortúnio: viver longe de Gaha – seu planeta –, ou ela surgir como peça principal para desfazer a magia que o mantém exilado de seu verdadeiro lar. Já Joana, agora enfrenta outra adversidade: Cauã, seu amor, foi obrigado a retornar ao seu astro, o Sol. Ela ficou para trás, sendo obrigada a lidar com o abandono. Então ela resolve fazer o que jamais poderia: desafiar o amor. Nesta segunda parte da série “Esmeralda”, os personagens arriscam tudo pelo amor. E desafiam forças do sistema solar e até mesmo do universo.
 

Após conhecer e me apaixonar pela linda história de amor entre as entidades do Sol e da Lua chamados Guaraci e Jaci, ou melhor, Cauã e Joana, fiquei com uma ressaca literária gigante e ao mesmo tempo estava louca para saber o que iria acontecer no próximo volume que a autora Ana Ferrarezzi havia me enviado junto com o primeiro que, para a minha surpresa e alegria, veio autografado! Porém antes de começar a falar sobre o quão incrível foi o segundo volume, recomendo que vocês leiam a resenha do livro anterior chamado Entre o Sol e a Lua, que também está aqui no blog, para que conheçam um pouco mais sobre essa história maravilhosa!

 No livro Tudo por Amor, iremos finalmente saber o que realmente aconteceu com Angélica, uma jovem que morava no sertão, fora violentada pelo cunhado diversas vezes, tirando a sua inocência e o sonho de encontrar o amor verdadeiro, e como se isso ainda não fosse o bastante, seu pai recebe a oferta de que, se ele vendesse Angélica (pois as suas outras filhas já eram casadas), ele e a sua família receberiam uma grande quantia pela troca e teriam dinheiro para ficarem bem alimentados por muitos anos.

Sabendo que seu pai iria aceitar a oferta, Angélica se muda para o Rio de Janeiro, assim como o seu nome para Alex e se livra do sotaque carregado do sertão. Contudo, a sua vida continuava não sendo fácil, e como consequência dos atos violentos do cunhado, ela começa a trabalhar como prostituta no Leblon, mas diferente das suas colegas que de se deitavam com um homem diferente há cada noite, Angélica atendia apenas um cliente. O rapaz era mudo e possuía uma beleza rústica e selvagem, seu apelido era Mecânico e mesmo a primeira sessão ter sido um fiasco, ele exigira ao cafetão do estabelecimento, a exclusividade da moça. Se comunicando através de mensagens com ordens e pedidos e sendo um amante incrível, Angélica rapidamente começa a se apaixonar pelo seu cliente.

25/10/2017

[RESENHA] A Cor das Almas

Título: A Cor das Almas
Autora: Neide Barth Rosencheg
Páginas: 345
Editora: Autografia
Estrelas: 3,5/5
Livro: Cortesia da Editora
A Cor das Almas narra a história ao longo de décadas de uma família descendente de alemães e Guiomar, garota negra que chega junto a sua família para trabalhar em terras do Sul. Em uma época cheia de preconceitos, Guiomar e Osvaldo se apaixonam e desenvolvem um romance que nem o tempo, a distância ou obstáculos sociais e familiares vão impedir de florescer.

A história inicia remontando à chegada do Grossvater (avô) e construção da sua fazenda numa vila em Santa Catarina. Já idoso, ele vive com o filho Eugênio, retratado como "homem frouxo, débil, grácil. Sem alegria". Na casa também vive Helga, a mulher de Eugênio, considerada bruta, forte e dominadora; que manda e desmanda nos filhos e no marido. Eles possuem 5 filhos: Hilda, Oscar, Osvaldo, Wilma e Emma. Hilda, a mais velha, trabalhava em casa, enquanto os irmãos trabalhavam com o pai nas plantações. As crianças, exceto a mais velha, veem suas rotinas mudarem com a chegada da família de Maria Antônia e José Loreno. 

Diferente do que eram acostumados, as crianças passavam o dia brincando no terreno, vivendo a infância que os outros não conseguiam ter. Entretanto os pais proíbem qualquer ligação deles a nova família pela cor escura que habita a pele deles. Em idade de inocência, eles não entendem a distinção e consequência do envolvimento com aquela gente tão diferente. Assim, as crianças logo formam amizade e aproveitam o tempo livre para brincarem juntos no rio. Eles passam um tempo assim, até Helga descobrir e demonstrar as faces do racismo que impregnava - e ainda há - na sociedade. Ela os proíbe e corta de vez qualquer laço estabelecido entre eles.

" O preconceito que ela arrastava parecia mais pesado que o próprio corpo que trazia a alma escura, mais que a pele daquelas crianças."

23/10/2017

[ RESENHA ] O Bracelete Misterioso de Arthur Pepper

Título: O Bracelete Misterioso de Arthur Pepper
Autora: Phaedra Patrick
Editora: Fábrica 231
Páginas: 304
Estrelas: 5/5
Livro: Cedido pela Rocco
Quanto tempo é necessário para conhecer verdadeiramente uma pessoa? Um ano após a morte de Miriam, com quem foi casado por 40 anos, Arthur Pepper finalmente toma coragem para arrumar o armário da esposa. O viúvo de 69 anos e hábitos modestos, cada vez mais fechado em sua vida solitária, fica surpreso ao encontrar, nas coisas de Miriam, um extravagante bracelete de ouro que ele não conhecia, enfeitado com oito diferentes pingentes. Determinado a descobrir a história por trás da joia, ele percebe que sabia muito pouco do passado da mulher com quem viveu por quatro décadas. E embarca numa viagem que o levará da Índia a Paris, na companhia da vizinha Bernadette, uma viúva que dedica seu tempo a cuidar de pessoas que perderam entes queridos. Uma jornada que mudará para sempre não só a maneira como Arthur conhecia a esposa, mas a sua própria vida, levando-o a fazer as pazes consigo mesmo e com o mundo.
 


O que você faria se descobrisse que a pessoa com quem você vivera por tantos anos e achava que conhecia, tivesse escondido coisas muito importantes sobre o passado dela? Você iria fundo nessa descoberta ou esqueceria e nunca mais pensaria no assunto? Esse fora o dilema de Arthur Pepper ao descobrir o belo e misterioso bracelete de sua falecida esposa, Miriam!

Arthur Pepper sempre vivera uma vida simples e tranquila ao lado de Miriam, e de seus dois filhos Dan e Lucy. E apesar do exaustivo trabalho como serralheiro, viajando para vender fechaduras aos seus clientes, Miriam nunca reclamara dos momentos em que ele não estava presente, pois sempre que podia, ele os compensava passando um bom tempo junto com a sua família. 

Contudo, na velhice, Miriam, que sempre usava roupas coloridas e que expunham o quão alegre e amável ela era, passou a usar cinza quando a doença se apossou do seu corpo frágil. No começo, eram apenas infecções no peito, mas que se agravaram, tornando um problema anual que a deixava de cama por duas semanas, tomando antibióticos até que virara pneumonia e levando-a a morte na manhã seguinte, deixando toda a família devastada e sem rumo, principalmente Arthur.

Fazia um ano que Miriam falecera e todos os dias, Arthur fazia a sua rotina metodicamente, do mesmo modo que fazia quando sua esposa ainda era viva. Seus filhos haviam seguido com suas próprias vidas, Lucy, aos 36 anos, se casara e era professora numa escola próxima do Vilarejo em Thornapple (Michigan), enquanto Dan, aos 40 anos, morava na Austrália com sua esposa e dois filhos. Havia um distanciamento entre Arthur e seus filhos, ele sentia que assim como Miriam, era como se seus filhos o tivessem deixado.
© Coleções Literárias ♥ - Todos os direitos reservados - 2016 ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo