30/09/2017

[ RESENHA ] A (R)evolução das Mulheres

Título: A (R)evolução das Mulheres
Autora: Mindy McGinnis
Páginas: 343
Editora: Plataforma 21
Estrelas: 5/5
Três anos se passaram desde o assassinato da irmã mais velha de Alex Craft. Mas, como é de costume, a culpa sempre recai sobre a vítima e o assassino segue sua vida em liberdade.Alex é uma menina forte e quer vingar sua irmã. Por isso, ela resolve atacar qualquer predador sexual que cruzar seu caminho e colocar a boca no mundo, usando a linguagem que conhece melhor: a linguagem da violência.Mas o que aconteceu na noite do assassinato chama a atenção de Jack Fisher, o cara invejado por todos: atleta perfeito, que desfila de braço dado com a garota mais cobiçada. Ele deseja conhecer Alex profundamente. E, numa cidade pequena, onde todo mundo se conhece, esse repentino interesse vai desencadear uma série de crimes bárbaros.Uma narrativa vibrante com cenas de grande impacto, A (r)evolução das mulheres é uma reflexão profunda sobre os abusos e estereótipos, que tiram a humanidade das mulheres. Mindy McGinnis nos mostra que as agressões perseguem a vida não só das vítimas, mas também daqueles que estão próximos a elas.

Olá Leitores,

Já andaram pela livraria e se depararam com ou clicaram nas hashtags desse livro no Instagram? 

Para começar falar dele vou contar a historinha do meu processo de leitura: Como vocês devem ter notado, eu amo um livro juvenil, então quando eu vou buscar o maridão no serviço (sim, ele trabalha em livraria) o primeiro corredor que eu ando é justamente onde há ficção adolescente. Fui procurar pela sátira Time Humanos e ao lado dele uma pilha de A (R)EVOLUÇÃO chocava com essa capa de porta de banheiro. Eu não sei na escola de vocês como é, mas fui jogada direto no banheiro da minha, lendo declarações de amor e ódio. Fiquei olhando a capa e pensando o quanto a premissa era boa e como mágica a poltrona ao lado vagou, peguei os dois livros, sentei e comecei a folhear. 

Time Humanos ficou de apoio, jogado de escanteio (sim, ainda quero ler) e um virar de páginas frenéticos absorvendo cada linha do texto de Mindy McGinnis deu início naquela tarde qualquer e quatro dias depois quando voltei à loja (ainda não era dia de funcionário pegar livro emprestado). Enfim, o livro chegou em casa e pude ler com calma o retratar de um assunto tão antigo, mas que só está sendo debatido agora.

"Então me viro e conto quem sou.
É assim que eu mato uma pessoa.
E não me sinto mal por isso".

As consequências da falta de punição para agressores, a cultura de que mulher tem que ter um certo jeito de agir, um horário para sair, uma etiqueta de vestimenta com muito pano e um número pequeno, "melhor se for ínfimo", de beijos e sexo casual, e qualquer coisa além disso é um permissão não pronunciada para o abuso. Esse trecho anterior  é uma quantidade enorme de besteira que não deveria sequer dividir opiniões.

28/09/2017

[ LANÇAMENTOS ] Setembro - Autografia



Tem gente que é felicidade na vida da gente. É janela aberta em dia de sol, colo de mãe com cafuné. Tem gente que chega na vida da gente desatando nós, afrouxando os apertos do nosso peito, inaugurando um novo olhar a respeito do mundo e fazendo dele um lugar melhor. O Gino era isso para mim. Mas o Gino morreu cedo demais. E eu? Eu continuei viva. Escrevi para o Gino continuar. Escrevi para o Gino não morrer. Escrevo para duvidar do fim, para não acabar também.



França Bonjour, da autora Cecilia Machado, conta a história de uma jovem francesa que já sofreu enormes decepções amorosas e passa a se dedicar aos estudos para lançar seu vinho, homenageando sua terra natal, Champanhe. Ela não apenas consegue concretizar seu objetivo, produzindo uma carreira sólida, como constrói uma linda família.Era uma vida perfeita, mas nada dura para sempre: em uma manhã, seu marido sofre um infarto e a deixa. Tomada pela depressão, nem sua filha era motivo de alegria. Sua trajetória sofre uma reviravolta, e, através das palavras de Cecilia Machado, essa forte história toma rumo, com uma novidade a cada página virada.

27/09/2017

[ RESENHA ] O último Adeus

Título: O Último Adeus
Autora: Cynthia Hand
Editora: Darkside
Páginas: 352

Estrelas: 4,5/5
Alexis Riggs é uma garota muito inteligente que sonha em estudar no MIT e apesar de fechada ela tinha uns bons amigos e um ótimo namorado. Mas tudo se transformou quando o irmão dela, Ty, se suicidou. Não existe eufemismo para isso ou meias palavras. Ele se matou. E até então ela não consegue entender como um garoto de 16 anos bonito, carismático, popular e querido resolveu tomar tal atitude, e pior: sem ter deixado nada a não ser um bilhete no espelho escrito “Desculpa, mãe, eu estava muito vazio”.

A história inicia com Lex tentando escrever em seu diário. Claro, o diário não foi ideia dela, mas do psiquiatra, Dave. Depois da morte do irmão, ela se afasta de todos e acaba seu relacionamento com Steve. Ela também não consegue chorar os sentimentos de perda e daí surge a ideia de escrever sobre sua vida com Ty e depois dele. Com tudo, ela ainda tem que se preocupar com a mãe que apenas chora, bebe e toma remédios para se livrar da dor da perda do filho; e com um pai ausente que abandonou a família há 3 anos e que ela não consegue perdoar.



 Vivendo cada dia arrastadamente, Lexie vive assombrada pela culpa da morte do irmão, afinal, ela prometeu estar lá quando ele precisasse. Mais ainda, ela começa a sentir o cheiro da colônia de Ty e de vê-lo em alguns momentos. Mas para quem ela poderia contar essa loucura? A partir daí ela retoma a amizade com Sadie, uma amiga de infância que estava agora no grupo dos rebeldes e maconheiros. Nada parecida com a protagonista. Mas é dela que vem a ideia de que talvez Ty tenha deixado algo para trás para ser terminado e até lá não conseguirá descansar. Não que Lexie acredite em fantasmas, mas o que mais poderia fazer? Então quando ela acha a carta do irmão destinada à ex-namorada, Ashley, e pensa que pode conseguir resolver, pelo menos, um dos seus problemas.

26/09/2017

[ RESENHA ] O Adulto


Título: O Adulto
Autora: Gillian Flynn
Editora: Intrínseca
Páginas: 64
Estrelas: 4/5
Uma mulher é promovida da parte de trás da loja de leituras de áurea e videntes e agora atua diretamente com os clientes usuais. Ela já está acostumada em observar o comportamento humano, conhecer seu público e realizar suas pequenas fraudes. Foi assim que ela viveu a vida toda. Ela sabe dizer às pessoas exatamente aquilo que elas querem ouvir. Em uma das suas sessões ela atende Susan Baker. Susan é como várias outras clientes: rica e infeliz. Ela acredita que há algo de errado com seu enteado e com a casa para qual se mudou há pouco tempo. Sem perder tempo, a jovem """sensitiva""" tenta tirar proveito da situação e oferece seus serviços para curar o que houver na casa. Mas o convívio com a família e com o local vão provar que existe muito mais do que se acreditava e ela pode estar em perigo.

A narrativa se inicia explicando o trabalho pouco convencional da nossa protagonista. Outra coisa pouco comum é que ela não tem um nome ou descrição detalhada sobre si, então você terá que recorrer a imaginação. Ela conta como desde criança, ela e a mãe, enganavam as pessoas para viver. Elas não eram miseráveis, nem nada, apenas queriam o modo fácil. E assim ela vive até chegar no presente da história.

Susan Baker chega preocupada com sua família e desesperada por respostas e soluções. Assim ela adentra a vida de Susan e sua casa. Lá, ela conhece Miles, o enteado adolescente de Susan. Desde o começo ele se mostra um garoto estranho, sarcástico e cínico. Ele sempre parece prestes a fazer algo e tenta avisá-la para deixar a casa antes que seja tarde demais.  Com os acontecimentos macabros a sua volta, ela percebe que talvez tenha mesmo se envolvido em um problema de proporções desconhecidas.

“ – Eu espero que você vá embora e não volte mais. Para seu próprio bem – disse ele, sorrindo para nós duas.” 

25/09/2017

[ RESENHA ] Caraval


Título: Caraval - Edição de Luxo (Caraval #1)
Autora: Stephanie Garber
Páginas: 351
Editora: Novo Conceito
Estrelas: 5/5

Tudo o que você já ouviu sobre Caraval, não se aproxima da realidade. É mais do que um jogo ou uma performance. É o mais perto que você chegará da magia neste mundo... Scarlett nunca saiu da pequena ilha onde ela e sua irmã, Donatella, vivem com seu cruel e poderoso pai, o Governador Dragna. Desde criança, Scarlett sonha em conhecer o Mestre Lenda do Caraval, e por isso chegou a escrever cartas a ele, mas nunca obtivera resposta.  Agora, já crescida e temerosa do pai, ela está de casamento marcado com um misterioso conde, e certamente não terá mais a chance de encontrar Lenda e sua trupe, mas isso não a impede de escrever uma carta de despedida a ele. Dessa vez o convite para participar do Caraval finalmente chega à Scarlett. No entanto, aceitá-los está fora de cogitação, Scarlett não pretende desobedecer ao pai. Sendo assim, Donattela, com a ajuda de um misterioso marinheiro, sequestra e leva Scarlett para o espetáculo. Mas, assim que chegam, Donattela desaparece, e Scarlett precisa encontrá-la o mais rápido possível. O Caraval é um jogo elaborado, que precisa de toda a astúcia dos participantes. Será que Scarlett saberá jogar? Ela tem apenas cinco dias para encontrar sua irmã e vencer esta jornada.
 


Entre os locais no Império Meridiano, um lugar rodeado de nobres e regentes, havia cinco Ilhas Conquistadas e entre elas, Trisda, que era governada pelo impiedoso, rico e elegante Marcello Dragna que vivia com suas duas filhas. Scarlett, a mais velha, e Donatella, a caçula. Contudo, houve uma época em que o Governador era um homem muito gentil, mas isso mudara por conta da partida inesperada de sua esposa, Paloma. Após esse acontecimento, Marcello havia mudado drasticamente enquanto Scarlett e Donatella ficaram aos cuidados de sua avó Anna, que as vendo tristes pela partida da mãe, lhes contava maravilhosas e empolgantes histórias sobre Caraval e principalmente, sobre o famoso e enigmático Mestre Lenda. 
 
Era aniversário de Donatella e para fazer algo especial para a irmã por estar sentindo muito falta da mãe, Scarlett resolve escrever a sua primeira carta para Lenda. Seria o melhor aniversário de todos, pois ele traria os seus fantásticos atores e a magia como ele sempre fazia quando viajava para um local novo. Contudo ele nunca viera e Tella começou a perder as esperanças, mas Scarlett continuava lhe escrevendo as cartas. Até que a notícia de que Lenda fora acusado pelo assassinato de uma jovem num dos jogos de Caraval, obrigando-o a parar de viajar por um tempo indeterminado.  

“-A bruxa não mentiu quando disse que Lenda não poderia ter fama e Annalise. Depois de se tornar Lenda, ele não foi mais o mesmo garoto por quem ela se apaixonou, de modo que ela se casou com outro e partiu o coração dele. Lenda se tornou tão famoso quanto tinha desejado, mas declarou que Annalise o traiu e jurou nunca mais amar ninguém. Provavelmente, há quem o chame de vilão. Outros dizem que sua magia o torna mais parecido com um Deus. Tanto a pequena Scarlett quanto a miúda Tella estavam a meio caminho do sono. As pálpebras estavam mais fechadas que abertas, embora as bocas se movessem, formando luas crescentes voltadas para cima. A de Tella sorria para a palavra vilão, mas Scalett se deliciava à menção da magia de Lenda.”

E enquanto Lenda não dava notícias de sua volta, a vida de Scarlett também mudava. Pois mesmo tendo um pai que era o homem mais rico que a maioria dos oficiais, por conta da ilha de comércio de rum e de outros negócios no mercado negro. Ainda lhe faltava o poder e o respeito, pois os regentes e nobres do Império Meridiano o ignoravam e consideravam qualquer um que fosse ilhéu, um camponês. Mas isso iria mudar, pois o Governador planejara casar Scarlett com um Conde que não apenas uniria sua família com a de um Nobre do Império Elantine, como também ganharia o poder e a respeitabilidade.
© Coleções Literárias ♥ - Todos os direitos reservados - 2016 ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo